Método Pilates

Joseph Pilates

    Joseph Hubertus Pilates nasceu em Munchengladbach, perto de Dusseldorf, Alemanha, em 1880/1883 (há pouca certeza nos registos). Pouco se sabe acerca da sua infância, mas segundo várias biografias apontam que era uma criança frágil que sofria de asma, raquitismo e febre reumática. Contudo, a sua determinação para superar todas as doenças levaram-no a transformar-se num competente ginasta, mergulhador, esquiador e boxeur. Certamente influenciado pelos seus Pais (Pai foi Ginasta e Mãe Naturopata), o que provavelmente influenciou a sua filosofia de vida, Pilates foi um autodidacta onde analisou as diferentes correntes orientais e ocidentais no âmbito dos exercícios físicos, principalmente as antigas filosofias greco-romanas, com o intuito de encontrar o equilíbrio entre a saúde física e a mental.

    Em 1912, com 32 anos, Pilates trabalhou na Grã-Bretanha enquanto elemento de um circo. Foi também boxeur e instrutor de auto-defesa para a Scotland Yard.. Durante a I Guerra Mundial (1914), ficou detido em Inglaterra por ser cidadão alemão e foi justamente nesse período que Joseph Pilates desenvolveu a sua técnica de fitness, concebida para um espaço contido e limitado, que permitiu treinar os seus concidadãos, igualmente detidos. Na segunda metade deste período tumultuoso na Europa, Joseph foi destacado para trabalhar num hospital na ilha de Man, acompanhando pacientes não-ambulatórios. Foi nesse contexto que nasceu um dos seus equipamentos de trabalho o Cadillac. Trata-se de um acoplamento de um sistema de molas às camas dos hospitais que permite suportar os membros dos doentes enquanto é desenvolvido o trabalho. Depois da I Guerra, Pilates regressou à Alemanha onde trabalhou como polícia em Hamburgo e, mais tarde, com Rudolph Von Laban, pioneiro da dança moderna, que incorporou os princípios do trabalho de Pilates nas suas aulas, sendo este o primeiro contacto de Pilates com o mundo da dança.

    Em 1923, decidiu emigrar para os Estados Unidos, a convite do seu amigo e boxeador Nat Fleischeir. Durante a viagem conhece Clara que viria a ser mais tarde a sua esposa. Em Nova Iorque, começou a trabalhar num ginásio de boxers (8º Avenida). No mesmo edifício havia várias escolas de dança permitindo assim uma nova aproximação ao mundo da dança.

Pilates com 82 anos     Estabelecendo-se em definitivo em Nova Iorque abriu o seu estúdio onde implementou e concebeu as suas próprias máquinas, permitindo assim alcançar grande sucesso em trabalhos de reabilitação. Mais foi dentro da comunidade da dança que o seu trabalho foi reconhecido e altamente valorizado, oferecendo aos bailarinos oportunidades de recuperarem das suas lesões e de melhorarem a sua técnica de dança usufruindo dos benefícios da “Contrologia” sendo o método parte fundamental do treino e da reabilitação de bailarinos.

    Com o passa a palavra, depressa todos procuravam Joseph Pilates e o seu estúdio, desde lendas da dança (ex: Ruth Denis, Ted Shaw, Jerome Robbins, George Balanchine e Martha Graham (entre outros), actores (José Ferrer) e ao escritor Christopher Isherwood. Em 1934, Joseph Pilates publicou uma brochura que titulou “Your Health: A Corrective System of Exercising that Revolutionizes the Entire Field of Physical Education” e em 1945 editou o livro “Return to Life Through Contrology”. Através destas duas obras e dos seus discípulos, o seu Método sobreviveu à sua morte, em 1967.

    Foi com 87 anos que Joseph Hubertus Pilates morreu no ano de 1967, sem deixar herdeiros. Clara Pilates, sua esposa, assumiu então a direcção do Estúdio, dando continuidade ao trabalho do marido. Por volta de 1970, a direcção do Estúdio passa para Romana Kryzanowska, uma antiga aluna da década de 50. Clara faleceu em 1976, deixando a direcção do Método e do Estúdio a Romana Kryzanowska, que até hoje difunde o método pelo mundo inteiro.

O Método

    O método Pilates ou Contrologia é um sistema de exercícios criado pelo alemão Joseph Hubertus Pilates (1880/1883 – 1967), em 1920, com uma perspetiva que dimensiona o homem na sua totalidade: o Corpo - Mente - Espírito, associados a princípios de resistência e força usados na antiga Grécia e pelo povo Espartano.

    Em 1934, Joseph Pilates escreve o seu primeiro livro intitulado “Your Health: A Corrective System of Exercising that Revolutionizes the Entire Field of Physical Education”. É um livro que abrange teorias, princípios e filosofias acerca da saúde e do fitness em geral. Através do livro, Pilates partilha e divulga a sua experiência e investigação sobre a variedade de problemas e males resultantes das más posturas e, da carência nas sociedades modernas da atividade física. Faz uma abordagem tocando em aspetos como a postura, a mecânica corporal a respiração entre outros aspetos essências e fundamentais na sua filosofia de vida. Neste contexto ele denomina a sua metodologia de trabalho como sendo a “Contrologia” (Equilíbrio do corpo e da mente).

    Ele define a sua ciência, a Contrologia, como “o controlo consciente de todos os movimentos musculares do corpo. É a correta utilização e aplicação dos mais importantes princípios das forças que se aplicam a cada um dos ossos do corpo, com o completo conhecimento dos mecanismos funcionais do mesmo, e o total entendimento dos princípios de equilíbrio e gravidade aplicado ao movimento de um corpo em movimento (estado ativo), em repouso ou a dormir (sono)." (Capítulo 6, pág.37).

    Assim para Pilates a “Contrologia é a completa coordenação do corpo, mente e espírito” (Pilates, J. in Return Life Through Controligy, 1934:37).

    São mais de 500 exercícios feitos em aparelhos específicos, que exigem grande concentração e consciência corporal. É uma busca constante pela excelência e pelo total controlo do próprio corpo. Sem preocupação com a hipertrofia muscular, desenvolve o corpo uniformemente, corrige a postura, desenvolve a vitalidade, revigora e proporciona o domínio da mente sobre o controle do seu corpo. Promove grande flexibilidade, força e equilíbrio muscular.

    As aulas são tranquilas, os movimentos são feitos com poucas repetições, mas exigem esforço e muita concentração, tornando-os mais eficientes. Dessa forma, o praticante não os realiza de forma automática. Os exercícios têm maior foco nas regiões abdominal, dorsal e lombar (denominada "centro de força" – Power House), sendo também dada muita importância à respiração.

    O método Pilates ou Contrologia é um sistema de exercícios criado pelo alemão Joseph Hubertus Pilates (1880 – 1967), em 1920, com uma perspetiva que dimensiona o homem na sua totalidade: o Corpo - Mente - Espírito, associados a princípios de resistência e força usados na antiga Grécia e pelo povo Espartano.

    O método pode ser utilizado por pessoas de todas as idades e todos os níveis de condição física, desde o sedentário, até o atleta de alto nível. É indicado para melhorar o nível de condição física (geral e específico), como também ao nível da reabilitação. As aulas são individuais ou em pequenos grupos, de forma a responder às necessidades individuais de cada aluno.

    O método de Pilates encontra-se alicerçado em seis pontos fundamentais:

  1. Concentração

  2. Controlo

  3. Centralização

  4. Precisão

  5. Fluidez

  6. Respiração

    A Concentração é um dos elementos fundamentais numa aula de Pilates. A necessidade de estar focada totalmente na aula e nos exercícios propostos pelo professor é fundamental, pois é a base para obter bons resultados. Bons resultados a nível muscular depende da atenção que é prestada a cada movimento realizado numa sessão de Pilates, portanto estar de corpo e alma na aula é fundamental.

    O Controlo muscular tendo em vista uma execução técnica com qualidade. Cada movimento deve ser controlado pela mente e com uma execução lenta e precisa. Exercícios irregulares e sem nexo não fazem parte desta atividade física. Pilates denominava o seu método como “Contrologia”, onde a coordenação do corpo, mente e espírito teria que ser una.

    Centralização: O foco deste método dimensiona-se no centro (Core) do corpo. Esta focalização nos músculos do Core (abdómen, zona lombar e glúteos), também designada como Powerhouse, faz com que uma aula de Pilates seja dinâmica, intensa e desafiante.

    A Respiração: Saber respirar é fundamental em Pilates, pois a mesma intervém na execução e na qualidade dos exercícios. A respiração é lateral torácica.

    A Precisão encontra-se intimamente ligada ao princípio da concentração. Há necessidade que a coordenação e a execução de cada movimento vá de encontro ao que está preestabelecido, evitando assim o risco de sofrer alguma lesão.

    A Fluidez dos movimentos deverão encontrar-se ligados à respiração, isto é, os movimentos devem ser executados ao ritmo do ciclo respiratório (fluído e contínuo).

Sentir-se-ão melhor em 10 aulas, parecerão melhores em 20 aulas e terão um corpo novo em 30 aulas.

Benefícios da prática de Pilates

    Como qualquer atividade física, a prática de Pilates no quotidiano traz para o praticante inúmeras vantagens a nível físico, e uma melhoria do seu estado mental. Contudo, o método de Pilates, pelo seu enfoque nos vetores como concentração, controlo e precisão, ultrapassa estes benefícios e proporciona um estado de completa harmonia e cooperação física e psicológica de quem o pratica.

    Pela variedade e gradação de complexidade dos seus exercícios, o método de Pilates traduz-se em melhorias significativas no fortalecimento e tonificação da massa muscular de um indivíduo, assim como num aumento da sua flexibilidade em geral. Se, por um lado, quando requisitado, o corpo passa a responder melhor e mais eficientemente, por outro lado, adquire, automaticamente e por norma, uma postura mais correta e saudável, com repercussões no decorrer dos dias.

    O controlo do corpo, a concentração nos exercícios e a fluidez que, a cada aula, vão sendo mais solicitadas fazem com que, por outro lado, se verifique uma diminuição no chamado stress, e um relaxamento psicológico de que se pode beneficiar em grande escala. O equilíbrio entre corpo e mente é reforçado e promovido, culminando numa sensação de bem estar com o próprio que se entende apenas como salutar.

    Por todas estas razões, a prática de Pilates é reconhecida e recomendada enquanto um exercício abrangente, eficaz e benéfico para qualquer indivíduo.


O Professor

    Mestre em Ciências do Desporto, Diplomado em Pilates Clássico/Autêntico e em Pilates Clínico, é Diretor Técnico e Pedagógico do Estúdio de Pilates Prof. António Craveiro, que é um Centro Certificado e Oficial Peak Pilates® (único no País) e APPI® Pilates Clássico e Autêntico.

Saiba mais sobre as aulas

Localização

    A menos de 10 minutos da estação de Metro do Marquês, com diversas linhas de autocarro próximas e numa zona central do Porto, não há desculpa para não nos vir visitar. Encontre o caminho mais próximo no mapa interactivo...

Veja onde estamos

Encontre-nos no Facebook

    Fique a par de notícias e novidades do Estúdio de Pilates através da nossa página no Facebook. Lá poderá conhecer melhor os intervenientes e materiais que compõem a prática de Pilates através de fotografias, textos informativos, actualizações diárias sobre o Estúdio, e muito mais...

Visite a nossa página


© 2014 Pilates António Craveiro ©